Não existem “Requisitos Não Funcionais”

WER2018 @PUC-Rio

Uma síntese do que apresentamos no 21º Workshop em Engenharia de Requisitos na PUC do Rio de Janeiro em 05 de setembro de 2018.

Sempre cabe destacar a importância da pesquisa científica. Vivemos em uma Sociedade baseada na Informação e é estratégico para o nosso país estimular a geração de conhecimento de ponta. Caso contrário, ficaremos dependentes do que é criado, publicado e investigado por outros, notadamente do exterior. Em outras palavras, quem não pesquisa apenas reproduz o que já se sabe, algumas vezes sem considerar aspectos éticos.Em favor do estudo criterioso e a discussão de ponta, foi realizado na PUC do Rio de Janeiro o 21º Workshop em Engenharia de Requisitos (WER).

WER2108 @PUC-Rio

O WER2018 foi organizado pelos maiores pesquisadores brasileiros da atualidade, com grande reputação internacional: os professores Júlio César Leite e Jaelson Castro. Como principal conferencista (keynote) foi convidado nada menos do que John Mylopoulos, o mais citado autor em Engenharia de Requisitos mundialmente falando, de acordo com o Google Acadêmico.

Tivemos a honra de estar lá, não apenas como ouvintes atentos ou debatedores experientes. Fomos selecionadas para apresentar o trabalho do grupo de pesquisa Rede de Requisitos do Centro Universitário de Brasília (UnicEUB). O artigo “Requisitos de Qualidade de Usabilidade: análise da utilização em sistemas de uma instituição financeira” de autoria de integrantes do UniCEUB (Angélica Toffano Seidel Calazans, Roberto Avila Paldês, Fernando de Albuquerque Guimarães, Eloisa Toffano Seidel Masson, Kiane Fialho Rezende) e da Universidade de Brasília (UnB). O repositório dos trabalhos publicados em todas edições do WER apresentará em poucos dias a íntegra do artigo.

E quais foram nossas principais contribuições? Em poucas palavras podemos dizer:

  • Estudo de um caso prático, aproximando a academia da indústria de software. Esse procedimento tem sido muito valorizado e esteve presente no WER 2018 desde o primeiro dia, quando foram apresentados vários casos da indústria por profissionais de nome no mercado. Foi possível analisar como foi realizada a especificação de requisitos funcionais nos últimos 10 anos pelo setor de desenvolvimento de uma empresa de alcance nacional.
  • Utilização das normas ISO/IEC 25000 [1] para conduzir a classificação dos requisitos encontrados. As normas utilizadas foram publicadas em 2011 e vieram substituir as ISO/IEC 9126 de 2003. A importância está no fato que muitos analistas de requisitos ainda continuam preso a norma antiga, não considerando os avanços já aprovados. Por exemplo: a série ISO/IEC 25000 não utiliza mais o termo “Requisito Não Funcional”. Primeiro porque existe uma interpretação alertando que dizer que um requisito é não funcional é vaga, na medida que apenas diz o que ele não faz. Isso não necessariamente diz o que o requisito faz . Além disso, os dito requisitos não funcionais incorporam uma conjunto de comportamentos, indicando que deveria ser tratados tais como os requisitos funcionais[2].
  • A pesquisa foi também capaz de apontar quais são as características de qualidade ligadas à usabilidade de software mais usadas nos diferentes domínios das aplicações avaliadas. Foi identificado que os requisitos relacionados à Apreensibilidade citados em todos os sistemas, envolvendo 37% dos requisitos analisados. Também foi encontrado que Reconhecimento Apropriado está em 81% dos sistemas, envolvendo 17% dos requisitos analisados. Finalmente a estética da Interface aparece em terceiro lugar (61% dos sistemas e 27% dos requisitos analisados).

Figura 1. Classificação dos requisitos de qualidade de um software [1]
Os pontos assinalados hoje com certeza despertaram muitos interesses e dúvidas. Vamos conversar mais sobre o temas nas próximas postagens, mas você pode deixar agora seus comentários ou escrever para os autores contato@rederequisitos.com.br .

Até mais, grande abraço!

Roberto Avila Paldês

Referências

[1] ISO: ISO/IEC 25000:2014 Systems and software engineering – Systems and software Quality Requirements and Evaluation (SQuaRE) – Guide to SQuaREtle (2014).

[2] Eckhardt, J., Vogelsang, A., Fernández, D.M.: Are “Non-functional” Requirements really Non-functional? An Investigation of Non-functional Requirements in Practice. In: 2016 IEEE/ACM 38th International Conference on Software Engineering (ICSE), Austin, TX, 2016, pp. 832-842 (2016).

.
QUERO RECEBER NOVIDADES DA REDE!